Friday At The Movies: The Hunger Games and Pina

Posted on março 31, 2012

2


fatm-8

Jump to english

Essa semana eu não fiz a maioria das coisas que queria fazer, mas pelo menos conseguir ir ao cinema e assistir esses dois filmes. Como sempre pequenos spoilers a seguir.

Hunger GamesJogos Vorazes

Roteiristas: Gary Ross, Suzanne Collins, and Billy Ray
Diretor: Gary Ross
Elenco: Jennifer LawrenceJosh Hutcherson and Wes Bentley
Sinopse: Em um futuro alternativo a Capital seleciona uma menina e um
menino de doze distritos diferentes para lutar até a morte, ao vivo,
na televisão. Katniss Everdeen se voluntaria para tomar o lugar da
irmã na fatal partida.

Depois de ouvir meio mundo falando desse filme, finalmente fui vê-lo, na quinta. Eu já tinha ouvido bastante coisa sobre os livros também, e o conceito de uma reality show centrado em adolescentes lutando até a morte parecia interessante, então tinha grandes expectativas pra esse filme. E elas foram atendidas pela metade, eu diria. Eu acho que o filme funciona muito bem como um produto de entretenimento. O elenco principal é bom, a direção também, você consegue se conectar com o personagem principal, etc. Mas no momento que você começa a analisar o filme mais profundamente, vê que falta muita coisa.

O maior problema é que esse filme tem personagens demais, então fora a dupla central, você mal consegue conhecer as outras pessoas (e se poderia argumentar que nem o Peeta você conhece tão bem), e muitos acabam se tornando arquétipos clichês por causa disso. O maior exemplo disso são os tributos do 1º e 2º distritos, que são más e nada mais, e só no final do filme que tentam dar uma certa nuance às suas motiações. A dinâmmica do grupo deles também me parece estranha, já que eles se unem instantaneamente, mesmo sendo de distritos diferentes, e nenhum deles aprece estar pensando que em breve terão que matar uns aos outros.

A falta de tempo com Prim, Gabe, Rue e vários tributos também diminui vários momentos que poderiam ter sido bem mais poderosos. Mas o problema é que não sei se alguém consegueria manter todos esses personagens, uma duração de 2h, e ainda assim me fazer ligar pra tanta gente. Acho que o único jeito de adaptar esse livro seria ou fazer muitas, muitas mudanças, ou uma série, que eu provavelmente amaria assistir. E eu nem comecei a falar sobre os aspectos políticos desse mundo, talvez porque o filme não os explica muito bem. A mesma coisa acontece com a tecnologia, que é simplesmente bizarra, e eu ouvi que no livro é pior ainda.

A única coisa que eu gostei sobre a construção do mundo, e eu sei que muita gente vai me odiar por dizer isso, foi o figurino e a maquiagem. Eu sei é tudo meega exagerado, mas como eu posso não gostar de pessoas andando por aí vestidas com uma versão new rave da Maria Antonietta, e barbas em formato de chamas? É tipo meu mundo ideal, rs! Isso também dá ao mundo um visual bem distinto e ajudar a reforçar a idéia de que os Jogos Vorazes são uma paródia do nosso atual mundo, obcecado com reality shows.

A outra parte que eu achei bem interessante foi o romance entre Katniss e Peeta. O andamento foi meio estranho, mas o tempo todo eu não parava de me perguntar: Eles estão mesmo apaixonados? Estão só fingindo pras camerâs? Talvez só um deles seja verdadeiro? Será que um deles realmente comeria aquelas frutinhas? Eu não sei a resposta dessas perguntas (mas ouvi que no livro as cosias são mais claras, pelo menos no lado da Katniss), mas pra mim foi a melhor parte do filme, e a razão pela qual ainda quero ler o livro, apesar de estar meio desapontada por esse mundo.

PinaPina

Roteiristas: Wim Wenders
Diretor: Wim Wenders
Elenco: Pina BauschRegina Advento and Malou Airaudo
Sinopse: Um tributo para a coreógrafa de dança contemporânea, Pina
Bausch.

E claro, depois de assistir o filme mais “povão” possivél, eu tinha que recuperar um pouco do meu crédito de cinéfila assistindo um documentário sobre uma coreógrafa de dança contemporãne alemã, com muito pouco diálogo, em 3D. E foi simplesmente maravilhoso. Mesmo amando dança eu não estava familiarizada com o trabalho da Pina Bausch, e não tinha a menor idéia do que me esperava. A dança dela é frequentemente descrita no filme como uma linguagem, e foi essa linguagem que uniu tantas pessoas, que falavam tantas línguas diferentes.

Pelo que eu li, a Pina estaria diretamente envolvida no filme, mas quando ela morreu em 2009, alguns dias antes do filme começar a ser filmado, e isso não era mais possível, Win Wenders resolveu transformar o filme em um tributo, onde seus dançrinos falam sobre suas experiências com ela, dançam algumas de suas coreografias e alguns trabalhos deles, influenciados por ela. Então por mais que tenhamos alguns aspectos mais tradicionais de um documentário, como entrevistas e imagens de arquivo, a maior parte do filme é simplesmente dança, o que faz ele ser um filme difícil de se falar sobre.

Então se você gosta de dança, ou filme visualmente interessantes, vá assistir. E o 3D é bem usado, ao ponto de eu até querer que eles tivessem usado mais, algo que nunca disse de nenhum outro filme. Por favor, vá ver esse filme, você não vai se arrepender. Mas se ainda estiver em dúvida, assista o trailer ali embaixo, porque as vezes uma imagem realmente diz mais que mil palavras.

E você, o que assistiu essa semana?

PS: Ainda é sexta se eu não fui dormir! rs

—{—}—


*
This week I didn’t do most of the things I wanted to do, but I did finally got my ass to the theater to watch both these movies.  As always mild spoilers ahead.

Hunger GamesThe Hunger Games

Writers: Gary Ross, Suzanne Collins, and Billy Ray
Director: Gary Ross
Stars: Jennifer LawrenceJosh Hutcherson and Wes Bentley
Summary: Set in a future where the Capitol selects a boy and girl from
the twelve districts to fight to the death on live television, Katniss
Everdeen volunteers to take her younger sister's place for the latest
match.

So, I finally went to see this movie that literally everyone has been talking about. I had already also heard a lot about the books, and the concept of a reality show centered on kids killing themselves seemed interesting to me (yes, I’m a terrible person), so I had very high hopes for this movie. And they were somewhat met. I think it functions very well as an entertainment piece. The main cast is good, the direction is decent, you can empathize with the main character, etc. But the moment you start digging a little deeper, things start to sort unravel at the seams.

The biggest problem for me is that this movie has way to many characters, so apart from the central duo, you hardly get to know any of the others (and an argument could be made that you don’t get to know even Peeta that well), and a lot of them turn into very defined archetypes because of this lack of characterization. The biggest example for this is the 1st and 2nd’s District kids, that are presented as pure evil, and only at the very end they try to add a little more depth to their motivations. Their group dynamic also seems weird, with them bonding instantly, even though they are from different districts, and we don’t even see a hint of their awareness that they will soon have to kill each other.

The lack of screen time Prim, Gabe, Rue, and several other tributes get also diminishes a lot of moments that could’ve been a lot more powerful. But the thing is, I don’t know if anyone could maintain all these characters, have a 2h running time, and make me care. I think the only way to adapt this book was to either make very big departures from the source material, or turn it into a tv show, which I would LOVE to see. And I haven’t even start to talk about all the political aspects of this world mostly because the movie does not explain that much about them. The same happens with the technology, which is just crazy, and I hear it’s even crazier in the books.

The one thing I did like about the world building, and I know a lot of people will hate me for saying that, were the costumes and make-up. I know, they are sooo silly!! But how can I not like people walking around in techno Marie Antoinette  clothes and flaming beards? It’s like my dream world! It also gives the world a very distinct look, and helps to reinforce that the Hunger Games are a sort of parody of our current reality show obsessed times.

The other thing I found really interesting was the romance between Katniss and Peeta. Sure, the pacing of it was a little off, but it left me wondering the whole time. Were they really in love? Where they playing it for the cameras? Maybe just one of them was really in love? Would either one of them really eat those berries? Honestly I don’t know the answer to this questions (though I hear the book is a lot clearer on this, at least on Katniss side), but for me this was the strongest part of the film, and the reason I still want to read the books, even though I was a little underwhelmed by this world.

PinaPina

Writers: Wim Wenders
Director: Wim Wenders
Stars: Pina BauschRegina Advento and Malou Airaudo
Summary: A tribute to contemporary dance choreographer Pina Bausch.

And of course, after watching a super mainstream action flick I had to get a bit of my cinephile cred back by watching a documentary about a german contemporary dance choreographer, with very little dialogue, in 3D. And it as just gorgeous. Even though I love dance I was not familiar with Pina Bauch’s work, so I had no idea what was expecting me. Her dance is often described in film as a language, and I think it is the most fitting description. And it was that language that united all her dancers, from so many different places in the world.

From what I’ve read, this movie was supposed to have Pina’s direct involvement, but when she died in 2009, only a few days before the shoot started, and that was no longer possible, Wim Wenders decided to turn it into a tribute, where her dancers talk about their experience with her, present some of her works, and some of their work, inspired by her. So even though we get some traditional documentary tropes like archival footage and talking heads (that are not that talkative) but the bulk of the movie is just dance, dance, dance. And that makes it a very difficult movie to talk about.

So if you like dance, or visually interesting movies, just go see it. And the 3D is very well used. To the point that I wish they used it even more, and I never say that about 3D movies. Please, just go see it, you will not regret it. Here’s the trailer for it, here an image really is worth a thousand words.

And what about you? What did you watch this week?

PS: It is still friday if I haven’t gone to bed.

Posted in: Film